Conflitos e resistência no Paraná

segunda-feira, 3 de abril de 2017

UNIOESTE ANUNCIA REALIZAÇÃO DO PROJETO “RESGATE DE UM PATRIMÔNIO CULTURAL: OS SABERES REFERENTES AO CULTIVO E USO DE PLANTAS MEDICINAIS NO BAIRRO PADRE ULRICO, EM FRANCISCO BELTRÃO”

Em agosto do ano passado se encerrava o “Projeto Resgatando saberes: o cultivo e uso de plantas medicinais no bairro Padre Ulrico, em Francisco Beltrão/PR”, realizado como atividade de extensão universitária pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), campus de Francisco Beltrão, coordenado pelo Professor Luiz Carlos Flávio do curso de Geografia da Unioeste. O projeto foi financiado em parceria com a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI), através do Programa Universidade Sem Fronteiras do Governo do Paraná.
Sua realização envolveu, além de professores/estudantes da Unioeste, bolsistas formadas em Geografia e Engenharia Ambiental; tendo tido como parceiros e integrantes do projeto: moradores do bairro Padre Ulrico, igreja Católica e de outras denominações religiosas; Clube de Mães, Grupo de Idosos, Posto de Saúde local;  Secretarias Municipais: de Desenvolvimento rural e do meio Ambiente;  Sindicato dos Trabalhadores Rurais, além de parceiros profissionais liberais, entre outros.
Durante sua existência o projeto realizou diversos cursos sobre técnicas de plantio e uso de plantas medicinais na forma de chás, xaropes, pomadas, aromaterapia, culinária etc. Implementou um trabalho com turmas de crianças da Escola Estadual Leo Flach, envolvendo conhecimentos sobre plantas medicinais. Seus participantes conheceram experiências com plantas medicinais de outras localidades do Paraná: no refúgio biológico da Itaipu Binacional; no Centro de Medicina Popular (Yanten) de Medianeira; e no horto medicinal da Unipar, em Umuarama. Construíram uma horta medicinal no Parque Irmão Cirilo, contendo mais de 60 espécies de plantas medicinais. E, ao fim do projeto, foi publicado o livro: “Resgatando saberes: cultivo e uso de plantas medicinais (uma experiência no bairro Padre Ulrico, Francisco Beltrão/PR).
Agora a Unioeste anuncia que, entre os meses de março e novembro de 2017 estará realizando outro projeto com as mesmas características do mencionado Projeto “Resgatando Saberes...”. Este que começa agora é denominado: “Resgate de um patrimônio cultural: os saberes referentes ao cultivo e uso de plantas medicinais no bairro padre Ulrico, em Francisco Beltrão”, sendo fruto da parceria entre a Unioeste e Ministério da Educação e Cultura (MEC). O projeto encaminhado por professores da Unioeste foi aprovado entre muitos outros que disputaram financiamento em nível federal.

Primeira Reunião com Lideranças do bairro e apoiadores do projeto 

      As atividades a serem implementadas pelo projeto  (cursos de cultivo de plantas medicinais; produção de chás, pomadas; usos de plantas na culinária; continuação da horta medicinal etc.)  objetivam unir os esforços dos professores/bolsistas da UNIOESTE e dos diversos parceiros que já participaram do “Projeto Resgatando Saberes...”,  a fim de contribuir para que a população do bairro e da cidade resgate o cultivo e o uso das plantas medicinais em seu cotidiano.
Valorizando o resgate de conhecimentos populares sobre as plantas medicinais, o projeto também objetiva proporcionar que os saberes populares entrem em diálogo com pesquisas científicas (Medicina, Nutrição, Farmácia, Biologia, Enfermagem, História, Geografia, entre outras). Assim, visa resgatar os saberes referentes à eficácia das plantas medicinais em curar doenças, proporcionando à população o acesso à saúde de modo barato, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida dos moradores do bairro Padre Ulrico e da cidade de Francisco Beltrão e região.

Retomada de trabalhos na horta medicinal