terça-feira, 18 de outubro de 2016

Seguindo onda de ocupações, Índios Kaigang ocupam Secretaria da Educação no Paraná.

A tentativa fracassada do governo Temerário de mexer nas regras, conteúdos e disciplinas do Ensino Médio sem discussão ampla com a sociedade continua a produzir efeitos maravilhosos.

Aquilo que era um fenômeno tido como isolado, restrito apenas aos estudantes de São José dos Pinhais, reverberou de tal forma que se espalha até outros Estados da nação. Realmente os(as) secundaristas não estão para falta de diálogo. Querem o diálogo.
De forma impressionante, sem grana, sem muita burocracia e com a ousadia que a própria idade lhes possibilita, adolescentes e jovens, apoiados por seus pais e professores, funcionários da e algumas direções escolares, protagonizam um grande fórum de debates sobre o que é Educação, o que é e o que deveria ser a Escola.


Indígenas tomaram a regional da Secretaria de Estado de Educação (SEED) na manhã do dia 17 de outubro, no município de Pato Branco, região Sudoeste, em protesto contra o desmonte do ensino público patrocinado pelos governos Michel Temer (PMDB) e Beto Richa (PSDB).



A ocupação do NRE de Pato Branco foi comandada pacificamente pelo cacique Miguel Alves, do povo kaingang. Cerca de 20 índios estão no local. “Pacífica por enquanto”.  
O NRE de Laranjeiras do Sul, também no Sudoeste do estado, igualmente foi ocupado por estudantes.
O cacique indígena chamou de “covardes” os professores que furam a greve no primeiro dia de paralisação.
“Quero dar um recado para esses professores, que são uns covardes, que não vem aqui participar da greve. Não defendem nem sua classe. Falta de vergonha para os professores que estão aí nas escolas defendendo seu emprego e não vem aqui na greve defender o próprio salário”, fustigou o cacique kaingang.
Cacique Miguel disse que a ocupação é por salário dos professores, redução da carga horária, e contra o congelamento de investimentos.
“Nós não estamos chateados, mas aguardamos os colegas professores para reforçar a ocupação do NRE”, afirmou uma educadora.

Além da Secretaria da Educação, tomadas hoje pelos indígenas, mais de 500 escolas estão ocupadas pelos estudantes em todo o Paraná. Eles reivindicam a retirada da MP 746 (reforma do ensino médio) e da PEC 241 (congelamento de investimentos por 20 anos), e punição às autoridades que desviaram R$ 50 milhões, apurados pela Operação Quadro Negro, que seriam destinados à construção de escolas.




Segundo a página #OcupaParaná  na manhã do dia 18 de Outubro, já eram mais de 680 escolas ocupadas em todo o estado do Paraná, bem como 11 universidades e 3 núcleos de educação.







Informações retiradas de:
https://www.facebook.com/OcupaPr/?fref=ts
http://www.esmaelmorais.com.br/2016/10/indios-tomam-secretaria-da-educacao-no-parana-estudantes-tambem-ocupam-nre/

LIBERDADE AOS PRESOS POLÍTICOS DO MOVIMENTO SEM TERRA - E pelo fim da criminalização dos movimentos populares no Brasil